Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \22\UTC 2010

partida

“Laura, tá difìcil? Tudo bem. Você é de ferro, e aço só se tempera na porrada mesmo…”

Paccelli Gurgel
in memoriam

.
Gurgel foi a maior referência que tive na vida. Sou cria dele. Vocês que me lembraram agora sabem disso. Sabem que amigo pra mim é família. Ele foi mais que isso: foi amigo, mestre, tutor. Cada alma-irmã que encontrei nos últimos 7 anos já me ouviu dizer do “cara que educou meus ouvidos”. O maior responsável por eu ter me forjado como sou hoje. E para quantos ele não o foi?
A dor não tem tamanho… parece que vou morrer de tristeza.
Mas sou de ferro, ele me disse.

*Foi uma grande honra, Gurgel. A maior das honras.
Esse Som ao Acaso, aqui surgiu também pelo teu incentivo. Dedico a você tudo que ele representa pra mim hoje.
Fique em Paz, toque sua guitarra e respire arte e música na companhia dos seus. A gente se vê, meu caro… a gente se vê.
.
Laura Days


Anúncios

Read Full Post »

Viva

Para me refazer e te refazer volto a meu estado de jardim e sombra, fresca realidade. Mal existo e se existo é com delicado cuidado. Em redor da sombra faz calor de suor abundante. Estou viva. Mas sinto que ainda não alcancei os meus limites, fronteiras com o quê? Sem fronteiras, a aventura da liberdade perigosa. Mas arrisco, vivo arriscando. Estou cheia de acácias balançando amarelas, e eu que mal e mal comecei a minha jornada, começo-a com um senso de tragédia, adivinhando para que oceano perdido vão os meus passos de vida. E doidamente me apodero dos desvãos de mim, meus desvarios me sufocam de tanta beleza. Eu sou antes, eu sou quase, eu sou nunca.

(Clarice Lispector. In: Água Viva)

Read Full Post »

Poesia



Pedira licença ao passado e reverenciara os anos e os encontros. A euforia ausente dava conta da poesia desnuda, disso belo que o tempo fazia encher apenas os olhos.

Laurita

Ménina, ménina.

Não consigo ser direto…
Tenho que tabelar meus olhos
(aqui)
Antes de dizer o cambio.
Pré-ciso escrever algo que nos co-mova.
Co mo va mos ter sen ti dos juntos?
Responde tu.
Áurea óleo, finos olhos.
Olho d’água,
Não toque!,
Nunca
Vista.
Mais viva que água salgada
Viva!
Rosto rachado,
Ser tão ardente,
Mar… Cada Sol
Vente.
A sopre…
Como
Devo cantar,
Assoviar nossos acentos.
Me nina,
Ou Mé…
Deite comigo.
Quero morder a finitude deste segundo.
Re-esquecer de lembrar
Que a distancia cria…
Ser lindo!
Perfeito!
Posso tocar?

(Rafael Garcia Vasconcelos)

 

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: